VILA FLOR

VFL

Vila Flor é um concelho do distrito de Bragança com cerca de 8000 habitantes, subdivide-se em 14 freguesias e a sua área territorial é de 272 km². O município é limitado a nordeste por Macedo de Cavaleiros, a leste por Alfândega da Fé, a sueste por Torre de Moncorvo, a sudoeste por Carrazeda de Ansiães e a noroeste por Mirandela.

Anteriormente, a vila era denominada “Póvoa D’Além Sabor” mas D.Dinis, encantado com a sua paisagem quando por lá passou em 1286, acabou por “re-baptizá-la”. Cerca de 1295, o rei mandou erguer, em seu redor, em jeito de protecção, uma cinta de muralhas com 5 portas ou arcos. Resta o Arco de D. Dinis, monumento de interesse público.

Também na categoria de monumento de interesse público está a “Fonte Romana” – é uma fonte quinhentista, com 4 pilares e 6 colunas jónicas, que suportam uma cúpula de tijolo; situa-se a cerca de 50 metros do Arco de D. Dinis.
Como local importante a visitar, destaca-se o Complexo Turístico do Peneireiro, onde se encontra o parque de campismo – caracterizado pela sua riqueza verdejante – a barragem e a albufeira.

Uma das principais actividades económicas da região é a agricultura, desde a cultura de trigo e centeio, à produção do azeite e do vinho. Também os frutos secos, nomeadamente a amêndoa, têm grande destaque económico, não só a nível agrícola como turístico.
A criação de gado é também uma importante actividade do concelho graças às favoráveis zonas de pastos, o que permite uma produção de qualidade e excelência, como é o caso do queijo terrincho DOP.
Quanto ao artesanato destacam-se os seguintes produtos: Rendas e bordados, colchas de linho e lã e tapetes; ferraria; confecção tradicional de calçado; albardaria; alfaiates e costureiras; carpintaria; funilaria; tanoaria e latoaria; estatuetas esculpidas em madeira, ou bonecos toscos; tecelagem, mantas de farrapos, cobertores de lã de ovelha e camisolas de lã ou de malha.

Fonte:
www.cm-vilaflor.pt

It was a sign of things to come for the Chicago Bears, whether in the near or distant future.

Labeled the third-team quarterback and a developmental project at the outset of training camp, rookie quarterback Mitchell Trubisky took snaps with the second team on Wednesday as the Bears completed a full week of practices.

”Don’t read too much into it,Alshon Jeffery Jersey” coach John Fox said. ”It’s just a matter of getting guys through different centers, different groups.

”It’s something that we mentioned would happen at some point throughout camp.”

The Bears traded up to the second pick in the first round to select Trubisky out of North Carolina in the 2017 draft, so his progress is important even if the plan is to let him learn behind starter Mike Glennon and backup Mark Sanchez.

It has been an up-and-down process to this point.

On Saturday, Trubisky fumbled three snaps in one drill, and then fumbled the next day again.Jordan Howard Jersey He has since been steadier since then.

”He’s learning a whole new offense,” Fox said. ”A whole different NFL coverage package that we see, a little bit more extensive types of coverages.Kyle Long Jersey So I think the guy’s done everything he can. He’s improving every day.

”He’s got a great work ethic. He learns quickly and works hard. You can’t ask for much more.Danny Trevathan Jersey

Trubisky blamed himself for the fumbles, although they came with different players at center. One of the concerns over Trubisky heading into the draft was his inexperience taking direct snaps from center, because he played in the shotgun in college.

”It was frustrating because that was uncharacteristic of me and I’ve just got to handle that,” Trubisky said. ”They were just wasted plays and I was kind of frustrated because I kind of wasted a team session right there and I didn’t allow myself or my teammates to get better.